Como sair da crise?

Em tempos como este, que nos apresenta um número sem fim de dificuldades, a primeira reação da maioria dos empresários é a inércia, ou, “vou esperar para ver o que vai acontecer”.

Começo este artigo citando Napoelon Hill: “a maior parte dos fracassos reais se deve a limitações que os homens impõem a si mesmos em suas próprias mentes.” (In Mais esperto que o diabo, 13ª ed., pag. 15)

Como empresária, lá no início da pandemia também pensei em esperar ou recuar. Aliás, diante da crise e sofrimento é natural do ser humano imobilizar-se frente às dificuldades – ou eminência delas, e se achar incapaz de prever como lidar com o que está instalado ou que está por vir.

Todos nós sabemos o que é preciso fazer, mas quando o medo domina a mente, a coragem some, afinal, no jogo da dominação os dois sentimentos não combinam. E aqui reside a fonte de todos os problemas do ser humano: o medo domina, e nós escolhemos “não fazer o que SABEMOS que precisa ser feito”.

E hoje, você empresário que está lendo este artigo, deve estar assustado com a chamada do post: como assim, você está sendo aconselhado por mim a fechar as portas?

Sim, você precisa ter coragem de ir e dar o passo à frente, você poderá descobrir como passar pela crise da pandemia do coronavírus, descobrindo que ela na verdade veio para nos mostrar o quanto somos capazes.

Façamos um teste. Se você responder “sim”, para pelo menos duas das perguntes abaixo, a sua postura é de domínio do medo, e não de coragem:

1)Alguém te ofereceu uma consultoria que poderia melhorar os resultados das suas vendas, e você, sem nem mesmo ouvir a proposta, respondeu de imediato: “não, obrigada, vou aguardar mais um pouco para entender o mercado pós pandemia”?

2)Você teve a oportunidade de fazer um diagnóstico tributário GRATUITO, e conhecer se a sua empresa tem oportunidades tributárias de redução de custos, ou de adequação legal, e você sequer fez o diagnóstico por medo do resultado?

3)Você assistiu poucas lives e webinares sobre vendas, por que acha que todos que estão promovendo querem se vender e você não tolera este tipo de vendas?

Então, agora viu como você está inerte frente à dor e ao medo do que está acontecendo ou pode vir a acontecer com o seu negócio no qual despendeu a sua vida, e que agora parece que pode perder tudo?

Mas, não quero deixar somente o cenário ruim. Ao contrário! Se você leu este artigo até aqui, é porque entendeu que tudo depende de você rever o modo como tem se comportado, sendo certo que irá encontrar as soluções para a maioria das dificuldades.

A pandemia nos traz novas possibilidades de trabalho. Precisamos nos adequar, inovar, pois a empresa/escritório de hoje não voltará a ser como antes, e por ter a certeza de que é necessário dar mais valor aos nossos próprios conceitos, EU TRAGO UM DESAFIO A VOCÊ.

Essas 4 perguntas abaixo podem mudar o seu destino e de sua empresa. Duvida? Responda-as por escrito, e coloque as respostas em um lugar que você possa ler todos os dias:

1) O que você poder fazer MAIS?

2) O que você tem que fazer MENOS?

3) O que você tem que DEIXAR de fazer?

4) O que você tem que COMEÇAR a fazer?

Daqui 7 dias me dê o seu feedback, e conte-me se a visão para o futuro da sua empresa não mudou. Se não mudou, você estará ainda inerte à dor.

Aí vale o meu conselho: não sofra, feche as portas! Os prejuízos serão menores do que ver a derrocada da sua empresa.

Ah, não se esqueça de que até para encerrar o seu negócio a consultoria é imprescindível, para proteger o seu patrimônio e a sua família!

Por Angélica Ferreira, advogada e consultora de negócios, Diretora do Grupo Studio / StudioAgro, Revisão e Recuperação de Créditos, Planejamento Estratégico e oportunidades Tributárias, Gestora de Blindagem Trabalhista, Governança Corporativa e Compliance.

www.angelicaferreira.com / @angelicaoferreira / (34) 98811-4100

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *